A melhor trail magic

O dia que o Theory voltou pra carregar minha mochila acabou sendo provavelmente o dia mais intenso da trilha até agora. Meu plano era pegar leve por causa da canelite e ir apenas até o próximo abrigo a 7 milhas de distância, onde ele tinha dormido na noite anterior. E ele, por sua vez, já estaria mais à frente. Como depois de 2 milhas me deparei com um Theory saltitante na minha frente dizendo que estava ali pra levar minha mochila, o plano mudou. Andar 5 milhas sem peso nenhum foi como fazer um passeio no parque, mesmo subindo montanha. Um trecho que para todo mundo foi bem difícil, eu nem senti, graças ao Theory. Por isso decidimos ir mais longe (cada um com sua mochila, dessa vez), apesar de já estar tarde e da previsão de chuva forte chegando.

Só que não foi apenas uma chuva, foi a pior tempestade que já peguei na trilha! Mas estávamos de boa, andando não se sente frio. Não sabíamos se valia a pena atravessar Max Patch, uma montanha totalmente aberta que dizem que é uma das partes mais bonitas por causa da vista. Estava com medo dos raios lá em cima, mas o Theory estava super empolgado com a chuva. E a previsão para o dia seguinte tbm não era boa. A tempestade apertou e nós paramos embaixo de um abrigo pra decidir o que fazer. Muito frio, muito vento, muita chuva. Não dava pra ficar parado ali, estávamos congelando. Decidimos seguir.

Max Patch foi uma experiência completamente diferente pra gente, pq não tivemos vista nenhuma, mas tivemos que nos equilibrar pra conseguir ficar de pé no alto do morro e continuar andando. Foi emocionante! Estávamos super felizes debaixo do temporal. Lá em cima achamos uma caixa cheia de comidas – trail magic! Nem pudemos olhar muito, só pegamos um saco cada e fomos embora.

Descendo a montanha, começou a ficar escuro, mas a chuva não parou. Mas estávamos tão elétricos que decidimos ir até o próximo abrigo ao invés de acampar como planejado. Era longe, mas a adrenalina estava a mil. Depois de algumas horas, vimos algo que parecia ser fogo e pensamos: wtf? Fogo no meio desse temporal? Nem tivemos tempo de raciocinar e de repente trinta pessoas começaram a gritar e acenar na nossa direção: “thru-hikeeeeers!”. Eles não esperavam ninguém andando naquelas condições. E nós, com toda certeza não esperávamos encontrar um grupo enorme de gente no meio do nada, em plena tempestade, à noite. “Venham! Temos cerveja, comida, maconha! Tudo o que vcs quiserem!”. Não pude acreditar, eles tinham uma cozinha inteira montada e muita, muita comida.

Era um grupo de thru-hikers que completou a trilha em 2014 e desde então fazem trail magic todo ano juntos, no fim de semana mais próximo do 4/20. Eles vão em massa levando muita coisa e ficam de sexta a domingo comendo, bebendo e socializando. Decidimos ficar por ali mesmo e montar as barracas por perto. No dia seguinte ainda tinha café da manhã.

O dia seguinte tbm foi muito doido pq a Loba, uma das pessoas que estava fazendo trail magic, ofereceu pra levar nossas mochilas para Hot Springs pra gente poder slackpack (andar sem mochila). Seriam 19 milhas, muita coisa pra mim que estava com canelite. Mas essa não era uma oferta que se recuse e aceitamos. Isso significava que acontecesse o que acontecesse, tínhamos que chegar em Hot Springs à noite, pois estava chovendo e estávamos sem barracas, saco de dormir, nada. Enchemos nossos bolsos de comida e levamos um filtro.

Só que no dia seguinte de manhã acabamos nos perdendo um do outro (longa história, não vou contar, mas envolve o Theory perdido no mato) e acabamos fazendo muitas milhas mais. Cheguei a pensar que havia sido um erro slackpacking: perdemos o café da manhã pq nos perdemos, saimos tarde, canelite, chuva… Mas é isso, quando sabemos que não existe outra opção, a gente vai lá e faz o que tem que fazer.

Chegamos em Hot Springs super tarde, nossas mochilas estavam lá esperando por nós. Chegar, tomar banho, ficar seca, comer e dormir numa cama de verdade foi uma sensação indescritível. A gente não precisa de muito pra ser radicalmente feliz quando está na Appalachian Trail e Hot Springs foi o ápice do meu conforto na trilha.

Nunca vou esquecer esses dois dias de trail magic, os dias mais incríveis até agora. Não publiquei fotos pq elas estão na GoPro que mandei de volta pra casa! :/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s